Sidebar

18
Ter, Jun

ECT

  • A participação da Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) na 5ª Conferência da UNI Américas Postal e Logística nos Estados Unidos foi importante para reforçar a busca por soluções para problemas enfrentados pelos trabalhadores ecetistas, entre elas a crise financeira do Postalis provocada por ações nebulosas de dirigentes e pela gestão desastrosas das aplicações feitas pelo banco BNY Mellon

    A Conferência foi realizada entre 17 e 19 de abril foi em Nova Orleans, nos EUA. A UNI é um sindicato global, que possui um segmento destinado ao Setor Postal e Logística. A Findect foi representada pelo Secretário Jurídico José Rufino e o Secretário de Relações Internacionais Ronaldo Leite, que também é secretário nacional de Formação e Cultura da CTB.

    A conferência debateu importantes temas como o e-commerce, banco postal e os seus impactos sobre os trabalhadores.

    Na pauta ainda estavam temas fundamentais para o Brasil – como a crise do Postalis – e de que forma os sindicatos dos demais países poderiam ajudar os ecetistas no Brasil.

    Entrega de encomendas e segurança do trabalhador

    Na ocasião, Leite apresentou o painel Impactos do e-commerce sobre os trabalhadores dos Correios. Explicitou o crescente número de assaltos aos trabalhadores da ECT decorrentes da ampliação das entregas neste segmento pelos Correios, o que entre outros problemas, tem gerado um clima de tensão e insegurança no trabalhador, realçado pela ausência de ações efetivas da direção da empresa.

    O sindicalista carioca reafirmou que “as entregas do e-commerce são importantes para incrementar as receitas da empresa, mas não podemos desconsiderar o impacto sobre os trabalhadores de Correios. A cada dia 14 carteiros são assaltados, por vezes vítimas de sequestro-relâmpago. Nos primeiros 10 meses de 2017, somente no Estado do Rio de Janeiro, ocorreram 61 mil roubos de cargas dos Correios. Algo precisa ser feito para preservar a integridade dos trabalhadores”.

    BNY Mellon tem que ressarcir o Postalis

    Durante a conferência, Rufino, participou de um debate importante para os trabalhadores ecetistas – Fundos de Pensão – especificamente o caso do Postalis.

    Ele denunciou e detalhou toda a situação que levou nosso plano à intervenção e o impacto negativo das fraudes praticadas pelo Banco BNY Mellon na gestão dos recursos dos trabalhadores, o que levou a perdas de mais de oito bilhões de reais dos recursos destinados ao pagamento das pensões de aposentadoria dos ecetistas.

    Segundo Rufino, “só ingressando com uma ação judicial nos EUA para obrigar o Banco BNY Mellon a pagar o prejuízo causado aos trabalhadores dos Correios. Dessa forma salvaríamos o fundo de pensão (Postalis), evitaríamos que ele seja liquidado e deixe mais de 100 mil trabalhadores sem a complementação da aposentadoria. A Findect tem tomado todas as medidas para manter o direito dos trabalhadores”.

    Também participou deste painel o advogado Bartman, que falou sobre os crimes cometidos pelo Banco BNY Mellon contra o complemento de aposentadoria dos ecetistas.

    Solidariedade internacional

    No encontro foi aprovada uma resolução de solidariedade aos trabalhadores da ECT. Entre as ações concretas está a atitude por parte dos demais sindicatos dos Estados Unidos no sentido de não apenas de denunciar o BNY Mellon pela fraude que resultou em perdas para os ecetistas, como também orientou aos sindicatos a realizarem uma campanha junto aos fundos de pensão nos EUA para retirar o BNY Mellon da gestão destes fundos até que ele devolva o dinheiro da pensão dos ecetistas.

    Durante o encontro, Leite denunciou também a condenação e a prisão sem provas do ex-presidente Lula a intenção de retirá-lo das urnas nas eleições de 2018. Essa investida é mais um capítulo do golpe de 2016 orquestrado pelo empresariado e seus partidos, que entre outras coisas trouxe a atual onda de retirada de direitos dos trabalhadores e destruição e privatização de estatais lucrativas e fundamentais para a segurança e a soberania nacional, como os Correios e a Eletrobrás.

    A participação da Findect nesta Conferência foi de grande importância, pois demonstra o seu interesse em buscar soluções para problemas enfrentados pelos trabalhadores ecetistas, melhorias nas condições de vida e trabalho e reafirma o seu compromisso para com eles.

    Fonte: Findect

  • O Sintect-SP (Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, Grande São Paulo e zona postal de Sorocaba) realiza ato e passeata contra o desmonte dos serviços de Correios, a negligência da ECT e Gerae, a má gestão e pela realização de concurso público urgente.

    A categoria paralisou as atividades em alguns centros de distribuição da região, entre eles o CDD Itapecerica da Serra. Assim como os companheiros de Itapecerica, os trabalhadores do CDD Capão Redondo podem paralisar a qualquer momento. E vários outros setores da zona sul devem entrar em greve por motivos relacionados ao abandono da empresa.

    A mobilização reunirá trabalhadores e trabalhadoras, a partir das 8h30, no Largo 13 de Maio, zona sul da capital paulista, e depois sairão em caminhada até o Complexo de Santo Amaro. 

    A manifestação é contra as diversas medidas adotadas pela empresa, como a implantação dos Sistemas de Distritamento (SDs), que reduziram drasticamente o número de distritos, aumentando o tamanho do percurso e prejudicando a saúde dos trabalhadores.

    Também reivindica mais segurança e a revogação da Distribuição Diária Alternada (DDA), que vem prejudicando a população e funcionários.

    ”Exemplo claro de negligência e má gestão foi o fechamento do Centro de Distribuição Diária do Grajaú, que prejudica até hoje a vida dos trabalhadores. O DDA e diversos SDs implantados em várias unidades da zona sul devem ser combatidos e a resistência dos trabalhadores é fundamental nesse processo. A greve começou forte e amanhã vamos fazer um grande e passeata até o Complexo de Santo Amaro.”, afirmou Douglas Melo.

    Serviço:

    Ato de protesto dos Correios

    8h30: concentração no Largo 13 de Maio com caminhada até Santo Amaro

    Sintect-SP