Sidebar

18
Ter, Jun

Joel Nascimento

  • Os trabalhadores e trabalhadoras das zonas Urbana e Rural do estado do Maranhão, cruzaram os braços em quase 100% dos municípios. A GREVE GERAL alcançou 200 cidades, de um total de 217. Na capital, São Luís, o transporte público parou 100% com a importante adesão dos Rodoviários. A CTB-MA calcula que mais meio milhão de pessoas tenham participado da GREVE em todas as regiões do estado.

    Desde as 4h da última sexta-feira, 28, trabalhadores de centenas de categorias começaram a se concentrar em diversos pontos estratégicos do Estado. Em São Luís, foram realizados atos na avenida dos Portugueses, fechando a rodovia que dá acesso ao Porto do Itaqui nos dois sentidos; Praça Deodoro, centro; e Estreito dos Mosquitos, BR 135, entrada da Capital. No interior, os trabalhadores e trabalhadoras cruzaram os braços nas mais diversas cidades: nas cidades de Imperatriz (BR 010); Brejo, no povoado Palestina, às margens da MA 034; Pinheiro, Baixada Maranhense; Santa Luzia do Paruá, no povoado Alto Turi, e em Pindaré, Estava Zero, ambas na BR 316; Alto Alegre do Maranhão, no povoado Caxuxa, na altura da rotatória da BR 135; em Caxias, na BR 316; no centro da cidade de Balsas, Sul do Estado; em Presidente Dutra, Região dos Cocais, e Cidelândia, Região Tocantina.

    O evento foi convocado pelas centrais sindicais (CTB, CUT, CSP Conlutas, CSB, Força Sindical, NCST e UGT), e pela Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Maranhão (Fetaema). Nesse clima de unidade, a GREVE GERAL parou o Maranhão e chamou a atenção da sociedade e dos parlamentares estaduais e federais para o clamor social contra os ataques aos direitos sociais do povo brasileiro.

    O presidente da CTB-MA, Joel Nascimento, ressaltou o alcance do movimento no interior do Maranhão e por todo o país, como forma de enfrentamento tanto ao Governo Federal quanto ao Congresso Nacional, especialmente os 12 deputados maranhenses que votaram a favor da reforma trabalhista. “Precisamos de um movimento unificado para dizer não aos políticos e prosseguir na luta pela manutenção dos nossos direitos”, avaliou.

    Márcio Rodrigo – CTB-MA

  • Os trabalhadores e trabalhadoras maranhenses prometem parar o Maranhão na próxima sexta-feira (28)l, data em que foi convocada uma greve geral no país contra as reformas da trabalhista e da previdência. Por orientação da CTB e demais centrais sindicais, os sindicatos de trabalhadores realizaram assembleias gerais ao longo dos últimos dias, e aprovaram a adesão ao movimento, que só cresce no Estado.

    Trabalhadores das mais diversas categorias irão parar. "Estamos trabalhando para parar tudo, fazendo os últimos ajustes e organizando as atividades, iremos protestar contra as reformas da Previdência, Trabalhista, Sindical, e até a Lei da Terceirização que já foi aprovada, é preciso resistir", explicou Joel Nascimento, presidente da CTB-MA.

    Somente os serviços essenciais irão permanecer funcionando

    Em São Luís as paralisações deverão ocorrer a partir das 5h da manhã, na BR 135; Avenida dos Portugueses, onde estarão os servidores públicos da educação municipal, estadual e federal; Praça Deodoro e na região do Renascença; e nas imediações do Aeroporto Internacional da Capital. "A ideia não é bloquear o trânsito, mas fazer uma manifestação pacífica com discursos e atos para sensibilizar a sociedade sobre a importância de lutar para manter os direitos conquistados às duras penas", pontuou Nascimento.

    Entidades confirmadas

    CTB, CUT, UGT, NCST, Força Sindical, CSB, CSP/Conlutas, Fetaema, Fespema, Apruma, Sintema, Sinproesemma, Sinterp, Sindmetal, Rodoviários, Vigilantes, STTR São Luís, Sindsef, Sindsep, enfermeiros de São Luís, padeiros, metalúrgicos, trabalhadores nos Correios, e demais entidades filiadas às centrais envolvidas.

    Fonte: CTB-MA

  • Em Congresso do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares no Estado do Maranhão (Sintect-MA) realizado neste domingo (19), os delegados aprovaram - por ampla maioria - a filiação da entidade à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). O evento, que ocorreu no Hotel Abeville, em São Luís, aprovou também a filiação à Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Findect).

    O presidente da CTB-MA, Joel Nascimento, participou de todo o Congresso, e avaliou como positivo o nível de integração e mobilização dos trabalhadores dos Correios. "A nova diretoria do Sintect-MA está de parabéns quanto a mobilização da categoria, em momento tão importante para o país", ressaltou.

    Segundo Joel, a chegada do Sintect-MA ao conjunto de de sindicatos filiados à CTB, reforça o quadro qualificado de trabalhadores e dirigentes que fazem a mobilização responsável e forte, frente aos ataques perpetrados pelo ilegítimo presidente Michel Temer, e pelo reacionário Congresso Nacional.

    O Congresso foi aberto pelo secretário-geral Sintect-MA, Márcio Martins. Ronaldo Martins (Sintect-RJ), Ricardo Adriane (Sintect-SP), Liége ( Secretária da Mulher do Sintect-MA), Marco Sant'Águida (Findect), Jovenilton (CTB-MA) e Telma Milhomem (Sintect-TO), também compuseram a mesa da abertura.

    sintect ma ctb

    Diversos temas foram abordados durante o encontro. Conjuntura política internacional, nacional e local; plano de privatização do governo, entrega matutina, dentre outros.

    Joel Nascimento falou durante a programação das apresentações. Na oportunidade, fez um histórico da origem da central e das entidades classistas filiadas. O assessor especial do governo do Maranhão e presidente licenciando da CTB-MA, Júlio Guterres, também prestigiou o evento.

    Trabalhadores de todo o estado do Maranhão participaram do evento. Os delegados foram eleitos durante assembleias setoriais realizadas pelo Sintect-MA.

    Márcio Rodrigo - CTB-MA