Sidebar

19
Ter, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

audiencia professores mtO Governo do Estado entrou com uma ação na Justiça solicitando a ilegalidade da greve dos profissionais da educação do Estado, que já completa 27 dias. O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público do Estado de Mato Grosso (Sintep-MT) foi notificado pela Justiça para apresentar a pauta das reivindicações da greve em 72 horas.

De acordo com a presidente da subsede do Sintep em Rondonópolis, Maria Celma Oliveira, o sindicato irá apresentar a documentação solicitada pela Justiça, mas continuará, em greve, aguardando uma proposta do Governo do Estado para a próxima segunda-feira (9), como ficou acertado. “Aguardamos uma proposta do Governo e continuamos com a greve e com o acampamento”, afirmou.

Durante a realização da audiência pública, no último domingo (08), na Assembleia Legislativa, que discutiu o rumo da educação no Estado, o Sintep-MT foi notificado por um oficial de justiça. A solicitação do desembargador Marcos Machado informa que o governo estadual requer a ilegalidade da greve. Porém, no momento, o magistrado apresenta apenas a necessidade de obter informações mais claras sobre o processo de negociação. Diz o documento que o objetivo do governador era obter a ilegalidade sob pena de multa diária de R$ 100 mil.

Para o presidente do Sintep/MT, Henrique Lopes do Nascimento, a notícia não pode ser bem recebida pela categoria, uma vez que pretende interromper o processo de diálogo mantido até o momento. “A atitude do governo em judicializar o movimento constitui-se como uma traição dentro de um processo que estava em desfeche através da proposta que ele mesmo autorizou à categoria”, disse o sindicalista, por meio da assessoria de imprensa do sindicato.

Portal CTB com agências

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Últimas notícias