Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após manifestações dos trabalhadores, trabalhadoras, comerciantes, empresários e a sociedade civil organizada, que ocorreu nas ruas da Vila dos Cabanos em Barcarena no Pará, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), através de articulação com a empresa em Brasília, recomendou a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) no Pará, para liberar o filtro prensa da Hydro Alunorte. Condição para que a planta que estava parada em 100% voltasse a operar com 50% da produção.

Esse embargo se arrasta desde fevereiro e tem colocado a produção da empresa em condições que não atende os compromissos com seus clientes. Além do que, fazem oito meses que os trabalhadores estão convivendo com o fantasma do desemprego.

Com a volta da operação em 50% já alivia um pouco a situação, pois as 1,2 mil férias coletivas solicitadas pela empresa em virtude da paralisação total de sua produção. Com a coragem dos trabalhadores em ir para as ruas com um só objetivo: voltar imediatamente com as operações dos filtros prensa para poder garantir a sobrevivência das empresas que dependem exclusivamente da nossa alumina, caso da Albras.

Agora precisamos que seja suspenso o embargo do DRS 2, e dos 50% da produção, para que possamos ter tranquilidade de voltar a operar em 100%, em qualquer estação do ano.

O Sindicato dos Químicos de Barcarena (SindQuímicos) enviou documentos para o Ministério Público Federal, para a Semas e para a Superintendência Regional do Trabalho, pedindo reunião para que possamos entender melhor a morosidade na suspensão do embargo.

Após o Círio de nossa Senhora de Nazaré, o sindicato vai realizar novas ações, para reverter o embargo que coloca os trabalhadores e trabalhadoras em estado de insônia. Juntos, Somos Mais Fortes.

Manoel Maria de Morais Paiva, secretário-geral do SindQuímicos de Barcarena

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.