Sidebar

17
Seg, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Acontece nesta sexta-feira (9), em São Paulo, a conferência “A luta política na América Latina hoje”, com a presença de Dilma Rousseff, presidenta eleita do Brasil, e Cristina Kirchner, ex-presidenta da Argentina, entre outras lideranças latino-americanas.

O evento, promovido pela Fundação Perseu Abramo, com apoio da Fundação Maurício Grabois, entre outras entidades, será realizado na Casa de Portugal (Avenida da Liberdade, 602, Liberdade), a partir das 19 horas, e terá transmissão ao vivo pelas redes sociais dos organizadores do evento.

Rubens Diniz, diretor de Políticas Públicas da Fundação Maurício Grabois, destacou a importância do evento. “É um evento que auxilia na compreensão da realidade latino-americana, principalmente no diagnóstico dos pontos em comum. O papel exacerbado do Judiciário sendo utilizado como um instrumento político, por exemplo, vem acontecendo de forma expressiva no Brasil e em toda a América Latina”, argumentou.

Ele ainda frisou que reunir duas ex-presidentas num debate sobre a conjuntura política “será algo importante, pois ambas lideraram um movimento muito forte e a relação do Brasil com a Argentina é uma parceria que intensifica a integração na região”.

Para Pablo Vilas, da Frente Para a Vitória, que reúne o campo progressista da Argentina, o evento também tem o mesmo peso para os argentinos e ajuda a fortalecer o debate e a organização para enfrentar a crise política na região.

“Precisamos construir uma organização política continental que também possa se defender continentalmente dos ataques da direita organizada a nível mundial. Num mundo que está em crise desde 2008, sem perspectiva de que vá terminar tão cedo, e o triunfo de Donald Trump [eleições norte-americanas] é um reflexo do aprofundamento da crise do sistema capitalista. Portanto, temos que debater e nos mobilizarmos para construir uma maior organização política continental, por isso a presença de Cristina Kirchner nesse evento”, enfatizou Pablo Vilas, que é responsável pela diretoria de Relações Internacionais e Integração latino-americana La Cámpora.

Sobre a crise política que a América Latina enfrenta, Vilas afirmou que o momento é de organizar a luta para enfrentar a ofensiva direitista. “Se nos determos a nostalgicamente refletir sobre os motivos de termos perdido e o que poderíamos ter feito para não ter perdido, e não pensarmos em reconstruir os caminhos, a volta tende a ser mais lenta. Entendemos que todos os direitos adquiridos nos últimos anos também representaram um aumento da consciência desse povo. No Brasil foram mais de 20 milhões de brasileiros retirados da pobreza. Esse povo tem que reorganizar-se e defender os seus direitos”, frisou.

Perseguição

A ex-presidenta argentina Cristina Kirchner chega a São Paulo nesta quinta, onde se encontrará com os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, antes de participar da conferência. 

Em mensagem pelas redes sociais, Cristina denunciou as manobras de perseguição política do governo Macri, que negligencia a segurança da ex-mandatária, isso porque por determinação do Ministério de Segurança argentino a equipe que faz a segurança de Cristina Kirchner viajará sem armas.

Para Cristina, esta é “uma das muitas formas de assédio de um governo que voltou a instaurar na Argentina perseguição política e prisão para os dissidentes”. Ela disse que responsabilizará o governo de Mauricio Macri por qualquer dano ou situação que possa ocorrer a ela ou à sua equipe. 

Do Portal Vermelho, Dayane Santos

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.