Sidebar

18
Ter, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em assembleia, realizada na noite desta terça-feira (14), os metroviários e metroviárias de São Paulo confirmaram a greve de 24 horas a partir da 0h desta quarta-feira (14), Dia Nacional de Paralisação contra a Reforma da Previdência, um movimento de resistência à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287/2016.

Com a decisão, os metroviários se unem à diversas categorias que vão parar o país contra as reformas previdenciária e trabalhista apresentadas pelo governo Temer, que promovem um ataque sem precedentes aos direitos do conjunto da classe trabalhadora, como alerta o secretário-geral da CTB, Wagner Gomes. "Nada até hoje foi capaz de afetar de forma tão radical a vida dos trabalhadores e trabalhadoras que estão na ativa como esse projeto do governo", disse.

metroviarios3

Segundo o sindicato, a greve que começa a partir da 0h paralisará as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha, 5-Lilás e do monotrilho da Linha 15-Prata.

Em São Paulo, também aderiram ao movimento grevista motoristas e cobradores, metalúrgicos, químicos, trabalhadores da sabesp, eletricitários, correios, professores estaduais e municipais, bancários, servidores federais, trabalhadores do judiciário federal, além de outros. A Linha 4-Amarela e CPTM operam normalmente. Motoristas paralisarão suas atividades até às 8 horas da manhã.

Além disso, haverá vários trancaços em rodovias e avenidas na capital e grande São Paulo.

Acompanhe pelo Portal CTB

 

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.