Sidebar

27
Qui, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Metroviários de São Paulo se reúnem nesta terça-feira (31) em assembleia para analisar a proposta oriunda da audiência de conciliação que ocorre nesta tarde, no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, na capital paulista. Em Campanha Salarial, a categoria reivindica reposição de 10,82%, além de 6,59% de aumento real. Na última assembleia, os funcionários decidiram adiar para o dia 1º de junho a greve que estava marcada para começar na terça-feira passada (24).

A última proposta oferecida aos empregados, na segunda-feira (23), era de reajuste de 7,5%. O índice ficou abaixo do sugerido pelo Ministério Público do Trabalho, que defendeu a reposição de 10,3%, referente a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Para o metroviário, Onofre Gonçalves, presidente da CTB-SP, é importante que a categoria esteja mobilizada para garantir seus direitos. "Não vamos aceitar qualquer retrocesso. Defendemos a manutenção do acordo coletivo e o reajuste de 10,82%, sem parcelamento", afirmou Gonçalves. 

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.