Sidebar

22
Seg, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Relatório da administração de 2017, divulgado pela direção do Metrô de São Paulo, nesta quarta-feira (28), aponta que o modal transportou 1,095 bilhão de passageiros em 2017. 

O dado considera todas transferências ao longo de todo o ano. Em 2016, esse número foi de 1,107 bilhão. O Metrô entende que a queda se deve “principalmente ao maior número de feriados em dias úteis”.

Uma outra hipótese é o avanço do número de desempregados em São Paulo. Em 2017, pesquisa  da Fundação Seade (órgão vinculado ao governo estadual) e do Dieese apontou que a grande São Paulo alcançou o maior índice de desemprego dos últimos 13 anos, 19% (mais de milhões de trabalahdores sem perspectivad e emrpego).

Cidade em movimento

O relatório ainda apontou que a média de passageiros transportados diariamente (média dia útil, considerando entradas e transferências), chegou a 3,7 milhões, mesmo número de 2016. O número de entradas, em 2017, foi um pouco superior em média nos dias úteis – 3 milhões contra 2,9 milhões em 2016.

Lucro

De acordo com a direção do Metrô, ainda com a queda de passageiros trabapostados, a estatal teve, em 2017, receita líquida operacional de R$ 2,634 bilhões, 4,6% superior ao ano anterior.

O que pesa é a dívida do governo estadual, que chega a R$ 200 milhões – número 30% superior à de 2016.

Governo deve e quem paga é o trabalhador

Para solucionar o problema da dívida do governo estadual, a direção do Metrô propõe dois caminho: Programa de Demissão Voluntária (PDV). O relatório aponta que 1.044 profissionais se inscreveram do programa.

Portal CTB - Com informações do Metrô

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.