Sidebar

27
Qui, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O Brasil está prestes a se tornar um verdadeiro bang-bang com o novo decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado no DOU (Diário Oficial da União). Agora, o porte de armas foi ampliado e ainda mais flexibilizado. 

De acordo com o texto, pelo menos 20 profissões, de políticos a caminhoneiros, advogados e jornalistas não terão mais de comprovar "efetiva necessidade" para justificar a solicitação do porte junto à Polícia Federal.

Políticos eleitos, servidores públicos da área de segurança pública, advogados em atuação pública, oficiais de Justiça, conselheiro tutelar, profissionais de imprensa que atuam em coberturas policiais, caminhoneiros, agaentes de trânsito, moradores de propriedades rurais e proprietários e dirigentes de clubes de tiro. Para os que já têm o porte, o governo ainda ampliou o direito à compra de até 50 cartuchos por ano para até 1 mil cartuchos por ano.

Com a medida, Bolsonaro ignora o alto índice de homicídios por arma de fogo no Brasil. De acordo o Atlas da Violência 2018, a taxa do país é 30 vezes maior do que a da Europa. Só na última década, 553 mil brasileiros perderam a vida por morte violenta. Ou seja, um total de 153 mortes por dia. 

Em campanha, Bolsonaro prometeu diminuir os índices de violência. Mas, na verdade, só passou a responsabilidade para o cidadão e, da pior forma possível.

 

Com informações de bancariosbahia.org.br

 

0
0
0
s2sdefault