Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Direção Executiva da Fitmetal divulga nesta quarta-feira (10/10) uma orientação para os dirigentes de seus sindicatos filiados, no sentido de orientar sua militância durante as próximas semanas, com vistas ao segundo turno das eleições presidenciais. Confira abaixo:

1. É fundamental que todos os dirigentes dos sindicatos filiados à Fitmetal exerçam sua militância de hoje até o dia 28 de outubro, no sentido de fortalecer a campanha da chapa Fernando Haddad-Manuela D´Ávila e impedir a vitória do fascismo.

2. É importante que cada um de nós dialogue com os trabalhadores e as trabalhadoras nas fábricas, nos clubes, nas atividades esportivas e nos espaços de convivência em geral. Precisamos apresentar-lhes os riscos reais que estão em disputa neste segundo turno, procurando politizar o debate e deixando de lado as questões de costume, de religião e de causas identitárias. 

3. É preciso resgatar junto à categoria o que representou para cada trabalhador/a os anos nos quais o ex-presidente Lula esteve na Presidência da República. Listar o que foi conquistado, os reajustes salariais, os seguidos aumentos dos salários mínimos, a inclusão de milhões de jovens no mercado de trabalho e nas universidades, o pleno emprego e a sensação de que nossos filhos certamente teriam condições de vida mais favoráveis do que aquela que nossos pais puderam nos proporcionar.

4. É urgente resgatar, com exemplos concretos, os retrocessos que o Brasil passou a sofrer desde maio de 2016, data na qual Michel Temer assumiu a Presidência. O número de desempregados, as condições cada vez mais precárias de trabalho, a terceirização e a incerteza trazida pela Reforma Trabalhista precisam estar nas discussões e mexer com o sentimento de cada metalúrgico/a.

5. É nossa tarefa resgatar o sentimento de classe entre aqueles/as que representamos, enquanto dirigentes sindicais. Demonstrar que o fim dos retrocessos só virá com a eleição de um projeto democrático, que aposte no desenvolvimento e na educação como saída para a crise. Precisamos deixar claro que o fascismo do candidato do PSL virá acompanhado de ainda mais recessão, de retrocessos como a Reforma da Previdência, de menos direitos sociais, de perda de nossas riquezas e de um futuro sombrio para nós e nossos herdeiros. 

6. Nos tempos atuais, essa militância precisa estar pronta para a busca por votos nos ambientes reais e também nos virtuais. As redes sociais foram um instrumento de grande eficácia no primeiro turno, muito embora tenha sido utilizada para a disseminação de incontáveis calúnias. Precisamos denunciar as chamadas “Fake News” (notícias falsas, em português) e apresentar o nosso contraponto nas discussões abertas na Internet, sempre com ideais propositivas e determinados a desmascarar as mentiras disseminadas pelo fascismo.

7. Temos uma árdua missão pela frente, mas temos a verdade ao nosso lado e precisamos ter a consciência de que a vitória é possível, sim, mas dependerá do esforço de cada um de nós nas próximas semanas. 

São Paulo, 10 de outubro de 2018
Direção Executiva da Fitmetal

0
0
0
s2sdefault