Sidebar

10
Seg, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O Sindicato dos Bancários da Bahia protocolou documento na Superintendência Regional do Trabalho solicitando providência em diversas agências que sofrem com péssimas condições de trabalho e atendimento precário à população, consequências do desmonte orquestrado pelo governo Temer.

O BB da Liberdade é uma das unidades citadas. O quadro de pessoal foi reduzido, saindo de 23 funcionários para 13. A sobrecarga de trabalho é grande porque os bancários sofrem com o fechamento das agências do IAPI e Barros Reis e, consequentemente, com o aumento da demanda. Inclusive, o problema motivou uma manifestação do SBBA em novembro. Logo depois, a Superintendência remanejou dois empregados, mas é muito pouco. 

A situação se repete em todo país. Desde o golpe de 2016, o Banco do Brasil vive um processo de desmonte, perdendo 10.012 funcionários de junho de 2016 a junho de 2017. Na Bahia, a realidade também é péssima. No ano passado, a instituição fechou 4.081 vagas.

As denúncias do Sindicato em relação aos problemas vividos pelo funcionalismo do BB são constantes. A estatal tem papel social muito importante para o desenvolvimento do país.

No entanto, o atual governo deteriora o ambiente de trabalho, penalizando toda a sociedade. "Vamos continuar pressionando o banco a contratar novos funcionários para suprir a demanda que cresce a cada dia", ressalta o presidente do SBBA, Augusto Vasconcelos. 

Sindicato dos Bancários

0
0
0
s2sdefault