Sidebar

21
Qui, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O 3º Congresso da União Internacional de Sindicatos da Metalurgia e Mineração (UISMM) será realizado no Egito, em cidade ainda a definir, no mês de abril de 2018. A decisão foi confirmada na última quinta-feira (8/12), durante reunião realizada em Alexandria, na subsede da Federação dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas, de Eletricidade e de Engenharia do Egito.

O secretário-geral da UISMM, Francisco Sousa, esteve no Egito durante cinco dias, como membro da delegação da Fitmetal-Brasil que visitou o país a convite da Federação local. Durante a reunião em Alexandria, também foi assinado um protocolo de intenções na área de cooperação internacional entre metalúrgicos locais e brasileiros. (Veja aqui)

Diante da confirmação, o dirigente da UISMM prevê que o ano de 2017 será fundamental para garantir que o 3º Congresso dê continuidade aos bons trabalhos alcançados em 2013, no Rio de Janeiro, quando lhe coube a tarefa de assumir o comando da entidade internacional. “Essa confirmação é um resultado muito importante, a despeito das dificuldades que tivemos desde 2013. Traçamos uma série de objetivos que, infelizmente, não puderam ser cumpridos à risca. O cenário nos últimos anos, de crise internacional, tem sido muito duro para os trabalhadores de todo o mundo. Precisamos pensar numa estratégia para enfrentar isso e o fato de o nosso congresso ser realizado numa localização tão estratégica para o mundo será muito importante”, avalia.

Para Khalid El Feki, presidente da Federação que recepcionará o evento em 2018, será uma honra para o povo egípcio acolher os metalúrgicos e metalúrgicas de todo o mundo. “Temos totais condições de garantir a presença de todos os países que compõem a UISMM e garantir mais um Congresso vitorioso”, prometeu.

Objetivos

Francisco Sousa entende que o diálogo com entidades de metalúrgicos e mineiros de todo o mundo será fundamental durante os próximos meses. “Precisamos de uma estratégia que solidifique a nossa base e que coloque a UISMM num patamar mais avançado dentro do sindicalismo internacional. O fato de ser realizado no Egito não foi à toa. Sabemos que há uma série de elementos geopolíticos que tornam a escolha positiva e também negativa, mas temos a convicção de que é possível fazer um grande Congresso, trazendo em especial novas entidades do continente africano e do Oriente Médio para a UISMM”, afirma o dirigente.

Seu papel, enquanto secretário-geral, será o de garantir para o 3º Congresso a maior quantidade de delegações possível, procurando ampliar o número de entidades filiadas à UISMM. “Existe uma grande crise pelo mundo afora, mas teremos uma oportunidade de ir além e colaborar inclusive para o fortalecimento da nossa Federação Sindical Mundial (FSM), no sentido de atender aos encaminhamentos de seu 17ºCongresso, recentemente realizado na África do Sul: unidade, luta e solidariedade contra a barbárie capitalista”, destaca o sindicalista brasileiro.

Para o presidente da Fitmetal, Marcelino da Rocha, os metalúrgicos e metalúrgicas do Brasil terão grande responsabilidade na condução do 3ºCongresso, garantindo que a UISMM tenha um papel de cada vez maior relevância no cenário internacional. “Daremos todo o apoio que for necessário, ao lado dos nossos companheiros do Egito, para viabilizar essa atividade e dar continuidade à ação política que vem sendo desempenhada nos últimos anos”, garante o dirigente.

Fonte: Fitmetal

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.