Sidebar

09
Dom, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após a vitória da extrema direita e o avanço do discurso de ódio, o governo cubano anunciou, nesta quarta (14) o fim de sua participação do programa Mais Médicos no Brasil.

Em nota, o Ministério da Saúde do país caribenho afirmou que a decisão é atribuída a questionamentos feitos pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), quanto a qualificação dos profissionais.

O Mais Médicos foi criado em 2013, na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), atualmente, o programa soma 18.240 vagas. Destas, cerca de 8.500 são ocupadas por médicos cubanos, selecionados para vir ao Brasil por meio de um convênio com a Opas (Organização Pan-americana de Saúde).

Portal CTB - Com informações do UOL

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.