Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Na última semana, a Sabesp apresentou relatório com a situação dos seis sistemas que abastecem a região metropolitana São Paulo.

No reservatório Rio Claro, por exemplo, a diferença representa uma queda de 56,9%. Os dados mostram que os níveis de água armazenada estão piores do que em 2013.

Em estado de alerta desde julho, o volume do sistema Cantareira está em 34,1%. Caso continue em queda e chegue aos 30%, o Cantareira entrará em estado de restrição, o que permitirá a retirada de apenas 23 metros cúbicos por segundo do reservatório.

Os sistemas Guarapiranga, Rio Grande e Alto Tietê, também apresentaram queda: 28,6%, 15,2% e 7,8%, respectivamente.

Com a região metropolitana próxima de uma nova crise de gestão hídrica, o planejador ambiental Renato Tagnin explica que há três motivos para que São Paulo volte a passar pelos mesmos problemas que os de 2013 e 2014: as políticas elaboradas pelo governo de Geraldo Alckmin (PSDB), a falta de campanhas de educação e de informação e a constante alteração de clima na capital.

Jornal CTB - Com informações da RBA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.