Sidebar

26
Ter, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Os manifestantes repudiaram a decisão do governo federal de encaminhar ao Congresso Nacional a proposta de reajuste para os aposentados de 6,2% e contra o Fator 85/95.


Indignação

“Trata-se de uma incoerência, pois contribuir durante 35 anos e quando parei ganhava mais de três salários mínimos. Hoje ganho apenas um salário e meio que mal dá para sobreviver diante das imensas despesas”, contava em tom de indignação Benedito Alves Nascimento, 81 anos. O aposentado era um dos manifestantes que com gritos de guerra chamavam a atenção contra as medidas do governo, como a extinção do fator previdenciário que vale apenas para aqueles que ainda vão se aposentar.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) foi contra a proposta do governo e defende a aprovação imediata do PL 01/2007, que visa conceder a todos os benefícios da previdência o mesmo índice do Salário Mínimo; o PLC 4434, que propõe a recomposição dos valores dos benefícios no prazo de 5 anos; o PLC 3299/2008, que propõe a extinção do fator previdenciário e a rejeição do veto presidencial que, derrubado, darão aos aposentados e pensionistas a recomposição de 11,67% retroativo a abril de 2006.

Após a mobilização na Praça Municipal e uma passeata pelo centro da capital baiana até o prédio do INSS na Praça da Sé, houve ato público com pronunciamentos de diversos representantes de entidades sindicais. No final da mobilização foi agendada uma assembléia para o dia 29 de agosto, sábado, na Casa do Aposentado. Também ficou acertado a realização de uma grande mobilização na terça-feira, 1 de setembro, no aeroporto, com entrega de carta aberta aos deputados.

Fim do fator previdenciário

O metalúrgico Pascoal Carneiro, secretário geral da CTB, participou do ato e afirmou que “a CTB esta convocando todos os sindicatos para se mobilizarem contra o fator 95/ 85, que vincula a aposentadoria à idade mínima, queremos o fim do fator previdenciário”, afirmou o sindicalista.
De acordo com o presidente da Associação dos Aposentados da Previdência Social da Bahia (Asaprev - Casa do Aposentado), Gilson Costa, um dos objetivos da mobilização foi o de pressionar a Câmara Federal a aprovar os quatro projetos que já foram passados pelo Senado, a exemplo da matéria que garante um reajuste vinculado de 8,9% de todas as aposentadorias em 2010.

Em 2009, o governo federal aumentou o salário de milhões de trabalhadores na ativa em 12%, similar ao percentual dos últimos anos, enquanto o aumento previsto para janeiro de 2010 não chega a 7%. “Esse reajuste não corresponde ao nosso interesse e para isso é que estamos fazendo uma mobilização popular com o intuito de sermos ouvidos. Todos os aposentados, pensionistas e trabalhadores devem estar unidos nessa luta. Queremos recompor o que já perdemos no prazo de cinco anos”, enfatizou Costa.

Os aposentados lutam para que as propostas apresentadas no parlamento federal mudem a realidade da política de benefícios que atualmente concede maior reajuste para quem ganha até um salário mínimo e menor para quem ganha acima. “Isso é contrário ao princípio de isonomia, onde todos têm direitos iguais”, protesta o presidente da Casa dos Aposentados. Segundo ele, com a aprovação dos projetos na Câmara de Deputados, é possível que seja extinto o fator previdenciário também para os inativos.

Portal CTB - com Agências

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.