13
Qua, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em defesa dos trabalhadores e do serviço público nacional, as centrais sindicais, CTB, CUT, NCST, UGT, Força Sindical, CSB, CSP-Conlutas, Pública, a Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), e demais entidades que representam os trabalhadores do setor, promovem a "Jornada Nacional de Lutas em Defesa do Serviço Público", rumo à greve geral.

A ação é para combater projetos de lei que retiram direitos trabalhistas e sociais, penalizando a categoria e os serviços prestados no País, atualmente em tramitação no Congresso Nacional. O movimento definiu um calendário de mobilizações para denunciar os ataques aos Serviços Públicos, promovidos por propostas nocivas, entre elas, a PEC 241 (congela gastos públicos por 20 anos e reduz recursos para servidores e as áreas de Saúde, Educação, entre outras), O PLP 257 (que ataca estruturalmente os trabalhadores e serviço público, com redução, entre outras coisas, de despesas com pessoal) e o PLS 559(que pode extinguir o serviço público no Brasil).

Segundo o Secretário do Serviço Público e dos Trabalhadores Públicos da CTB, João Paulo Ribeiro, o próximo dia 6 será marcado como o Dia Nacional de Conscientização em Defesa do Serviço Público. As entidades que integram o movimento farão atos em Brasília e diversos estados do Brasil, com o objetivo de conscientizar e dialogar com a sociedade acerca de tais propostas.

Dias 12,13 e 14 de setembro, trabalhadores públicos de todos os estados promoverão uma “Caravana Nacional”, com acampamento em Brasília. Na terça-feira (13) haverá o “Ato Unificado” de todas as centrais, confederações, federações e movimentos sociais e estudantis. Na quarta-feira (14), as entidades realizarão uma plenária para definição de Greve Geral do Funcionalismo Público. No dia 15, quinta-feira, ocorrerá uma reunião com as lideranças das entidades envolvidas para um balanço das atividades.

“A CTB lutará incansavelmente para barrar o retrocesso de direitos, consequentes desses projetos nocivos atualmente em tramitação. Nossa central seguirá mobilizada em defesa da valorização do serviço público e dos trabalhadores públicos”, declarou JP.

De Brasília, Ruth de Souza – Portal CTB

Foto: Júlio Fernandes

 

0
0
0
s2sdefault