13
Qua, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Lideranças sindicais de entidades que representam servidores públicos federais apresentaram demandas da categoria ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), na última quinta-feira (13). Henrique Alves atendeu solicitação e comprometeu-se em organizar agenda mensal com os representantes que anseiam por abertura de negociação com o governo e entregar a ministra Míriam Belchior a pauta de reivindicação dos federais e marcar uma audiência dela com os representantes das categorias.

A CTB foi representada pelo secretário do Trabalhador do Serviço Público, João Paulo Ribeiro, além dos dirigentes Fátima de Souza e Luiz Cláudio. O presidente da Câmara atendeu a solicitação dos sindicalistas respondendo a uma convocação do conjunto das entidades sindicais dos servidores públicos federais que, em 22 de janeiro, protocolou ofício em vários poderes com uma pauta de reivindicação comum. As entidades alegam resistência do governo em negociar.

servidores henrique alves2
Os líderes sindicais, em uma pré-reunião no Salão Verde da Câmara dos Deputados, ajustaram o discurso para o encontro com presidente da casa. Eles decidiram, em consenso, priorizar as pautas comuns a fim de dar celeridade à audiência. Para João Paulo, a conversa foi extremamente positiva, especialmente pela agenda mensal estabelecida entre o parlamentar e os sindicalistas.

Durante o encontro, Alves prometeu levar as reivindicações das entidades sindicais, para a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Mirian Belchior, e tentar agendar uma audiência entre a ministra e as entidades. Além disso, o presidente da Câmara firmou compromisso com os sindicalistas de garantir, todos os meses, ao menos uma audiência com as lideranças sindicais dos servidores públicos federais em seu gabinete. O próximo encontro ficou agendado para depois do carnaval.

A pauta de reivindicações das entidades versam sobre: definição de data-base (1º de maio); política salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações; cumprimento por parte do governo dos acordos e protocolos de intenções firmados; contra qualquer reforma que retire direitos dos trabalhadores; retirada dos PL’s MP’s, decretos contrários aos interesses dos servidores públicos; paridade e integralidade entre ativos, aposentados e pensionistas; reajuste dos benefícios; antecipação para 2014, da parcela de reajuste de 2015.  

Direito de greve

Os servidores públicos federais participarão na próxima quinta-feira (20), às 13h, em local a definir no Congresso Nacional, audiência pública para discutir o anteprojeto de regulamentação do direito de greve dos servidores públicos. O presidente da comissão, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), e o relator, senador Romero Jucá (PMDB/RR), haviam tentado votar a proposta por diversas vezes, mas a pressão das centrais sindicais provocou sucessivos adiamentos.

A proposta relatada por Jucá ataca os servidores por vários flancos, com destaque para a essencialidade de quase todos os serviços públicos, a definição do percentual de trabalhadores em greve, a possibilidade de corte de salários, a limitação à liberdade sindical ao criar critérios para que os sindicatos possam deliberar a greve, a judicialização do movimento permitindo que o Judiciário possa definir o fim da greve, entre outras.

Com informações do Portal CSPB

0
0
0
s2sdefault