13
Qua, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
  A CTB - Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil promoveu entre os dias 16 e 18 de abril o 1º Encontro Nacional dos Servidores Públicos, com objetivo de organização da categoria dentro da central e da construção dentro de um projeto de desenvolvimento para o país, participam trabalhadores e trabalhadoras de 15 estados brasileiros, das esferas municipal, estadual e federal.

A cerimônia de abertura, coordenada por João Paulo Ribeiro, membro da secretaria, contou com a presença dos dirigentes da CTB Wagner Gomes, presidente nacional; Pascoal Carneiro, secretário-geral; Salaciel Vilela, secretário-geral adjunto; Ailma Maria, presidente da estadual Goiás, Wagner Rodrigues, secretário-geral da estadual SP; José Gonçalves, presidente da estadual Paraíba; Joílson Cardoso, secretário de Política Sindical e Relações Institucionais e Fátima dos Reis, secretária dos Trabalhadores em Serviços Públicos.

Fazer acontecer

O governo do presidenciável José Serra com seus constantes ataques aos direitos dos trabalhadores foi lembrado pelo secretário-geral da CTB-SP. Wagner Rodrigues ressaltou que não importam as esferas às quais os trabalhadores pertencem, pois todos sofrem com a política nefasta, que tenta de todas as formas retirar os direitos dos trabalhadores, principalmente em São Paulo. "Existem mais de 120 cidades que não têm sindicato de servidores municipais. Isso sem falar no Estado, que sofre com a política neoliberal aplicada pelos tucanos", afirmou.

A vontade e a necessidade de fazer acontecer foram a tônica da fala de Salaciel Vilela, que comentou a organização dos Estados que realizaram as etapas estaduais. "Esse encontro vem corroborar uma vontade, mais do que isso, uma necessidade. Vontade temos muitas, mas as necessidades têm que ser maiores. Atuamos em um setor que é a porta de entrada para nós. O concurso publico, ainda é hoje, a melhor opção para tirar do setor organizado, as pessoas que organizarão o setor".

Secretário-geral da CTB, Pascoal Carneiro mais uma vez confirmou a necessidade da construção de políticas públicas para a construção das propostas da Central e de como se dará seu desempenho. "Essa luta é uma das lutas que surgiu com nossa fundação ao lado daquelas fazem parte da pauta unitária das centrais, como a bandeira pela redução da jornada e da questão dos aposentados, com o fim do fator previdenciário", salientou.

Para Joilson Cardoso, a CTB tem se empenhado para se tornar, cada vez mais, um instrumento político. "Ocupando atualmente o 3º lugar em representatividade, nossa central tem sido muito maior na defesa de um projeto nacional", revelou o secretário de política sindical, que também lembrou a defesa firme dos cetebistas da resolução 151 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que garante ao trabalhador em serviço público a legalização de seus direitos de organização.

Participação massiva

Uma das principais organizadoras, Fátima Reis agradeceu aos presentes pelo empenho e participação. "Esse encontro já é um sucesso. Mostrou que estamos unidos, que quando somos convocados, respondemos à altura. Isso é gratificante e nos dá grande respaldo, no que se refere à questão da valorização do trabalhador público. Esse encontro tem papel de fazer uma discussão à política. Não tem caráter deliberativo, mas sim, indicativo. São temas atuais, como a propostas da CTB para o servidor. Esse encontro vai ser um marco. É a partir dele que a Central vai elaborar o conjunto de propostas que atenda a necessidade dos servidores, seja estadual, municipal ou federal".

Uma das falas mais esperadas, Wagner Gomes comentou sobre as dificuldades de criação da secretaria e do trabalho desenvolvido por seus responsáveis. “Estruturar essa secretaria com uma política consequente e estratégica não é fácil. É a maior categoria brasileira e a mais atacada pelo projeto neoliberal”. Para Gomes, são os trabalhadores do setor que constroem a força do Estado. “Um Estado só é soberano se forte. E essa força exige um servidor público bem remunerado e, mais que isso, que preste um bom serviço à população. O projeto neoliberal tentou passar a imagem de que o servidor público não trabalha – para tentar criar as possibilidades de eliminar cada vez mais postos no serviço público. Esse pensamento foi implementado para acabar com o Estado brasileiro. Então, preparar a secretaria do servidor público é o desafio de vocês”.

O presidente da Central ainda reafirmou a grande credibilidade que o encontro trará para a categoria no movimento sindical e também dentro da CTB. “Eu acho que essa conquista de realização do encontro e da criação da secretaria traz a credibilidade e o respeito que vocês merecem. O filho nasceu. Espero que vocês o criem bem e tenho certeza que isso vocês farão”, finalizou o presidente da Central, que durante o evento recebeu uma placa de homenagem dos trabalhadores da Unicamp pela atuação da entidade junto ao setor.

Cinthia Ribas - Portal CTB
0
0
0
s2sdefault